Quantidade de Páginas visitadas

Venha para o CEEBJA, matrículas abertas




Poema
"Escrever" no sentido literário é algo para poucos. O texto poético traz em sua essência uma mescla de sutilezas, sentimentos intensos, sensações ímpares que são capazes de acariciar nossas almas.

E nós do CEEBJA ASSIS CHATEAUBRIAND, orgulhamo-nos por ter em nosso corpo discente, uma aluna-poeta que vem nos emocionando pela beleza, criatividades e nobreza de seus versos.

Disponibilizamos, para deleite de nossos leitores, versos preciosos compostos pela talentosa MARA DANTAS.




Nemo nascitur sapiens



Havia no universo um planeta

Um mundo desconhecido

Neste mundo tinha um vale

O vale dos sonhos perdidos

Dentro dele moravam os anjos

Os anjos dos esquecidos



Eles eram divididos

Em duas classes distintas

De seres celestiais

Os fabulosos dourados

E os incríveis prateados

No vale dos imortais



Os dourados eram tão sábios

Que suas asas refletiam

O brilho sagrado dos sóis

Quando suas bocas abriam

Eles falavam com tanta beleza

Que a própria natureza sorria

E os aprendizes prateados

Raramente percebiam

Que a beleza dos sóis

Não sobrevivia sozinha

Dos dourados vinha o saber

Mas deles, o precioso manter

Essa sagrada magia



E nesse lugar encantado

A paz e o amor já viviam

Pois nesse solo amado

O aprendizado era a magia

E os dourados por muitas vezes

Com os prateados aprendiam



Alguns se destacavam na força

E outros com doçura e leveza

Lá a justiça é cega, surda, e muda

Disso eu tenho certeza

Pois nesse recanto existe,

Os dourados da delicadeza



Elas são a voz que ouve o surdo

E escuta o que o mudo fala

Vê o que a cega enxerga

E transforma em perfeito sua aura

Aleluia!!! Lá nós temos justiça

Pois elas refletem suas almas



Existem algumas grutas escuras

Porém promissoras na sabedoria

Sãos as grutas das ciências,

Dos dourados anjos de filosofia

Que mostram a verdade dos fatos

Em tempos de mentes outrora vazias



Faz-nos ver o mundo sem cor

Usando argumentos de total realidade

Entretanto defendem imortais excluídos

A face oculta de uma podre sociedade

E mesmo matando qualquer ilusão

Transformam prisões numa tal liberdade





E os anjos da arte? suspiram poesia

Sobre um novo horizonte de oportunidades

Perspectivas de vida borbulham no ar

De quem busca o tempo com tanta saudade

Sentimentos afloram a cada momento

Apaixonados pelos riscos dessa felicidade



No vale das letras corre um riacho

E em suas margens, ficam aprendizes

De asas tão transparente como a doce maestra

Que numa ópera de fonemas, ensina e ensina

Mas, quando o assunto é pronúncia correta

Não brinque, não erre, com a pequenina



Ela e tão cheia de palavras exatas

E carrega uma sacola de sílabas perfeitas

Junta oxítonas com monossílabas caladas

Vibrantes polissílabas em frases que enfeitam

Nos faz traduzir o maravilhoso encaixe

De ser seu alfabeto no livro da vida





Além desse vale, tem as douradas das línguas

Today is to study

Hasta ahora han aprendido lo básico

Que diacho é isso, meu DEUS soberano...

E nesse emaranhado de frases sem nexo

Arrisco um I love meu belo cigano



De todos os anjos que lá já residem

Os que passam de dia ou no anoitecer

Existem os fabulosos anjos de luz

As meninas floridas do amanhecer

Elas alimentam os necessitados

Limpam seus sonhos e os fazem viver



No fundo elas são anjos sem asas

Pois deixam em casa, seu profundo saber

Limpam nossas sujeiras, saciam nossa fome

Mas quem saciará sua fome de ter

Um suave carinho, ou um raro obrigado

Que brota nos recantos mais profundos do ser





Lá residem histórias perdidas

Muitas formas de vida e vários segredos

Pequeninas gigantes, que numa luta incessante

Sobrevivem a um mundo de culpas e medos

Elas vagueiam pelos corredores dourados

Recolhendo o prateado que escorre entre os dedos



Aquela que ainda não se tornou diamante

Porque foi colhida antes da hora e talhada

Tão cedo mudaram sua forma antiga

Mas, jamais lhe roubaram o sonho da alma

Pois o carvão pressionado se tornará precioso

Nas mãos de quem ama, protege e não mata



Permita-me aprender com vocês, nesse instante

E que Jesus Cristo, presente esteja

Realizando o sonho que sua alma pede

Dizendo é a hora, desperta princesa

Quem sabe ele seja um menino prateado

Que um dia feliz com um sonho dourado

Tornou-se mestre e aprendiz no vale CEEBJA...

























Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito